6.2.10

Crítica: "A Praia do Destino", de Anita Shreve



Editor: Edições ASA
Edição/reimpressão: 2004
Páginas: 416
Preço: 16,00€

Sinopse: A arrebatadora história de um amor impossível. Uma meditação sobre o erotismo feminino e os preconceitos sociais.
Olympia Biddeford é a filha única de um proeminente casal de óston – uma jovem precoce a quem o pai afastou das instituições académicas com o objectivo de lhe garantir uma educação refinada e pouco convencional. No Verão de 1899, Olympia tem quinze anos e a sua vida está prestes a mudar para sempre. Cheia de ideias e entusiasmada com os primeiros arrebatamentos da maturidade, é admitida no círculo social do pai, que contempla artistas, escritores, advogados e, entre eles, John Haskell, um médico carismático. Entre ambos nasce uma impensável e arrebatadora paixão. Sem ter em conta o sentido das conveniências ou da auto-preservação, Olympia mergulha de cabeça numa relação cujos resultados serão catastróficos - John tem quarenta anos, é casado e pai de quatro filhos…

"O livro ideal para ler numa noite de Verão com o som do mar como pano de fundo. Anita Shreve é uma excelente contadora de histórias, tem um assombroso talento para manter o leitor na expectativa até ao fim."

Daily Telegraph
______________________________

Opinião: Este livro é motivante, mesmo para quem não seja muito amante de Romances (como eu). Considero que este livro se divide em 3 partes distintas. A primeira espelha a infância e adolescência de Olympia na casa da Praia, a segunda é o desenlace da incestuosa relação com o Dr. Haskell até ao momento que é desvendada e tem um final doloroso para Olympia, a terceira parte inicia-se quando Olympia descobre que o seu filho não morrera à nascença, e assim começa a sua luta para encontrá-lo.
É interessantíssimo pela época que retrata, e por expor a classe nobre, mas também por nos dar um panorama da miséria, quando Shreve descreve o trabalho do médico John Haskell.

Contextualizando o livro, ele abrange a história da educação, medicina e advocacia - na última parte, para mim a mais interessante. Quem deve ficar com a custódia do filho de Olympia? Ela, porque foi enganada pelo pai e pensar que o filho tinha morrido. Ou os pais adoptivos? Eles, os únicos, que a criança conhecera desde bebé.
Leiam e vejam o desfecho deste livro…eu caracterizava como...curioso!


MonikitA

3 comentários:

Angelina Violante disse...

Eu li este livro aqui há uns anos e confesso que fiquei em parte chocada com o comportamento da Olympia.
Também não percebi o porque de todo aquele aparato para que ela não percebesse que lhe levavam o filho, é cruel tirarem o filho a uma mãe.
Fim é mesmo estranho.

Beijinhos

Paula disse...

Li esse livro há uns anos e gostei muito.
Depois li Luz na neve da autora gostei menos.
Mas a escrita é fluida e agradável e Praia do Destino é bom sim :)
Um abraço

t i a g o disse...

E o meu comentário à tua crítica é que também eu fiquei... curioso. :) Se o encontrar, dou uma vista de olhos :)

Boas leituras!