12.11.09

Crítica: "Eu Sou a Lenda" - Ed. Especial, de Richard Matheson

Editora: Saida de Emergência / 2008
ISBN: 9789896370619
Formato: Capa mole
Dimensões: 16 x 23
Núm. páginas: 192


Sinopse: Robert Neville é o último homem vivo na Terra... mas não está sozinho. Todos os outros homens, mulheres e crianças transformaram-se em vampiros e estão sequiosos pelo sangue de Neville.
De dia, ele é o predador, caçando os mortos vivos pelas ruínas abandonadas da civilização. De noite, Neville barrica-se em casa e reza para que chegue a manhã.
Durante quanto tempo pode um homem sobreviver num mundo de vampiros?


"Penso que o autor que mais me influenciou como escritor foi Richard Matheson. Livros como Eu Sou a Lenda foram uma inspiração para mim."
-Stephen King


"Um dos melhores livros de vampiros alguma vez escritos."
-Fangoria
_________________________________
Opinião: Nova Iorque, 1976. Um terrível vírus infecta a população humana a nível mundial e Robert Neville é o último Homem à face da Terra. Depois de perder a sua mulher, a sua filha e o seu mundo, Neville vê-se obrigado a partilhar o seu planeta com os mortos que anseiam tão fortemente o seu sangue.
Ora bem, para começar, devo dizer-lhes que este foi um dos melhores livros sobre vampiros que li! Brilhante, bem pensado e inesperado, são três palavras (vá, quatro) que descrevem muito bem o livro. A estória está muito bem pensada e a explicação científica para a propagação dos bacilos (bactérias), ou seja, o bacilo que transformou a população humana mundial em vampiros; o porquê da eficácia das estacas na morte deles; a explicação do porque os vampiros tinham medo de cruzes, enfim, Richard Matheson, apesar dos poucos avanços científicos que se verificavam na altura da concepção da obra, conseguiu tirar um proveito genial, contribuindo para uma teoria bem explicada e fundamentada.
A estória de Neville é algo triste já que é o único resistente da sua espécie. Durante o dia, ele procura arranjar fortificar a sua casa dos estragos provocados pelos vampiros, de entre os quais, Ben Cortman, que o visitava todas as noites, odioso e sedento pelo seu sangue. Queimava os corpos de mulheres que todos os dias apareciam no passeio ou na estrada e caçava vampiros. Durante vários meses procurou por pessoas como ele, imunes ao bacilo que nomeou de vampiris, mas, sem sucesso, acabou por perder a esperança e começou a investigar a origem dos vampiros. Embebedando-se todas as noites com o seu tão apreciado e amigo whisky, tentava passar pelas noites e esquecer-se da sua mulher, dos seus problemas e dos vampiros.
Após três anos de solidão, Neville era já como um ser vegetal e depara-se com... (surpresa! Não vou contar!) O que vos posso aconselhar é a ler este excelente livro! Apesar de ter umas pequenas partes monótonas, é um livro surpreendente e o final é totalmente inesperado! Considero uma leitura a não perder!


Ora, este livro também nos oferece mais cinco contos de terror do autor que também adorei! São eles:
- Nascido de Homem e Mulher;
- Presa (adorei este!);
- Perto da Morte;
- Pesadelo a 20.000 Metros de Altitude;
- e Os Filhos de Noé.
Em suma, é lógico que recomendo! - Tatiana

8 comentários:

Felicity e Gucci disse...

Parece ser muito bom...ainda não vi o filme...por isso fica registado antes de o ver tenho que ler o livro...por a tua crítica ajudou bastante na decisão...bigada :)

Tatiana disse...

Felicity, do que vi, (porque só vi o início) está muito diferente. pelo menos a última adaptação. Têm me dito que as anteriores estão melhores ;)

Anónimo disse...

tatiana, deverá decidir-se: a ptopagação é por bacilo(bactéria) ou virus?não pode ser por, passo a citá-la," bactéria, ou seja, vírus"...Ok??

Anónimo disse...

cara tatiana,muito embora subscreva parte do que diz e considere este, efectivamente, um grande romance sobre vampiros, ao contrário de toda a porcaria que por aí vem sendo publicado(Meyer, Harris, etc), apenas um pequeno àparte à sua critica: a propagação é feita por virus ou bactéria?, uma vez que escreve e passo a citar" a propagação do bacilo(bactéria), ou seja, do vìrus que transforma...."decida-se que a biologia não perdoa...

Tatiana disse...

Caro Anónimo, no livro falaram os nos dois e por essa razão fiquei com a ideia de que seria assim mas muito obrigada pela chamada de atenção para essa questão acerca da minha confusão a nível da biologia. vou procurar informar-me melhor acerca do assunto já que muito provavelmente o erro é meu. :S

D' disse...

Ai Tati, já vi o filme, mas nunca li o livro.
Muito sinceramente, não gostei. É um pouco solitário e irreal.
Claro, isto é tudo uma questão de gostos ;D.
Beijinhos pequena

PallasAthena disse...

Olá, eu não tive a oportunidade de ler este livro, mas vi o filme e adorei. Fica aqui a critica do filme:
http://livreo.blogspot.com/2008/12/i-am-legend.html

Boas leituras ;)

Anónimo disse...

Occasum

Autor: Orácio Felipe
Descrição :
Johann é imortal. Mas a imortalidade carrega consigo muitas angústias. A maior delas, a falta de um amor que a acompanhe. Ele buscava, como criatura das trevas, uma companheira que pudesse transformar. Ele buscava um antídoto e havia conquistado alguma força compondo poesias, admiradas tanto pelos seus criados, Igor e Fredy, quanto por aqueles que o perseguiam. Seus buquês de palavras, como costumava chamar, eram entregues àquelas que admirava. Mas havia uma única rosa em seu caminho, para a qual ele passaria a dedicar sua existência, que não era efêmera. Um vampiro buscando extinguir sua chama assassina através do amor de uma mulher. Um soneto pode aplacar a dor do coração frio de uma criatura?

www.clubedosautores.com.br